Tag Archives: web

106 e-books gratuitos sobre comunicação, mídias sociais e web

5 jan

106 e-books gratuitos sobre comunicação, mídias sociais e web2012 chegou com tudo. Que tal começar o ano colocando a leitura em dia?

O Blog Mídia8! fez uma seleção de e-books gratuitos sobre comunicação, mídias sociais e web. E o melhor: totalmente grátis!

Confira abaixo os livros em português, inglês e espanhol.

Português:

01. Como escrever para a web (Guillermo Franco)
02. O que é o virtual? (Pierre Lévy)
04. Web 2.0: erros e acertos (Paulo Siqueira)
05. Para entender a internet (org. Juliano Spyer)
06. Redes sociais na internet (Raquel Recuero)
07. Televisão e realidade (Itania Gomes)
08. Autor e autoria no cinema e televisão (José Francisco Serafim)
09. Comunicação e mobilidade (André Lemos)
11. Conceitos de comunicação política (org. João Carlos Correia)
13. Informação e persuasão na web (org. Paulo Serra e João Canavilhas)
14. Teoria e crítica do discurso noticioso (João Carlos Correia)
17. O marketing depois de amanhã (Ricardo Cavallini)
19. Grandes Marcas Grandes Negócios (José R. Martins)
20. Relações Públicas digitais (org. Marcello Chamusca e Márcia Carvalhal)
21. Ferramentas digitais para jornalistas (Sandra Crucianelli)
30. Retória e mediação II (orgs. Ivone Ferreira e María Cervantes)
32. Comunicação e estranheza (Suzana Morais)
34. Manual da teoria da comunicação (Joaquim Paulo Serra)
35. Estética do digital: cinema e tecnologia (orgs. Manuela Penafria e Mara Martins)
36. Jornalismo digital e terceira geração (org. Suzana Barbosa)
37. Comunicação e ética (Anabela Gradim)
40. Teorias da comunicação (orgs. José Manual Santos e João Correia)
41. Comunicação e poder (org. João Correia)
42. Comunicação e política (org. João Correia)
43. Manual de jornalismo (Anabela Gradim)
44. A informação como utopia (Joaquim Paulo Serra)
45. Jornalismo e espaço público (João Correia)
50. Campos da comunicação (orgs. Antônio Fidalgo e Paulo Serra)
52. Onipresente (Ricardo Cavallini)

Inglês:

01. The new rules os viral marketing (David Meerman Scott)
02. Podcast marketing ebook (Christopher Penn)
03. Social web analytics (Social Web Analytics)
04. Masters of marketing (Starup Internet Marketing)
05. Get viral ger visitors (Stacie MAhoe)
07. The zen of blogging (Hunter Nutall)
08. A primer in social media (Smash Lab)
09. SEO for WordPress blogs (Blizzard Internet)
11. The word of mouth manual – vol. II (Dave Balter)
13. Social media: your organisation and web 2.0 (Trevor Cook e Lee Hopkins)
15. The impact of digital on journalism in Latin America (Guillermo Franco)
16. What matters now (Seth Godin)
17. Red kayaks and hidden gold: citizen journalism (John Kelly)
18. Science and the media (Donald Kennedy e Overholser Ginebra)
19. New media makers (Jan Schaffer´s)

Espanhol:

02. Marketing e comunicación (José Sixto García)
04. Herramientas digitales para periodistas (Sandra Crucianelli)

07. El impacto de las tec. digitales en el periodismo en AL (Guillemro Franco)
08. Inteligencia colectiva (Pierre Lévy)
09. Predicciones para los Social Media 2010 (Marc Cortés)
10. Geekonomía (Hugo Pardo)
11. Manual de periodismo independiente (Deborah Potter)
12. La revolución de la prensa digital (Cuadernos de Comunicación Evoca)
13. Dictadura del diseño (Carlos Carpintero)
14. Quiénes son los YouTubers? (Estudio de usuarios)
15. Comunidades online 2009 (Miguel Cornejo)
16. El modelo de la nueva agencia (diversos autores)
17. Web 2.0 (Antonio Fumero)
18. Más allá de Google (Jorge Juan Fernández)
19. Necesidades de formación para medios digitales(Guillermo Franco)
20. Crónicas argentinas (Juan Pablo Menezes)
21. Nosotros, el medio (Chris Willis e Shayne Bowman)
22. Cómo escribir para la web (Guillermo Franco)
23. Claves del nuevo marketing 2.0 (diversos autores)
24. Lan gran guía de los blogs (Francisco Polo)
25. Periodismo 2.0 (Mark Briggs)
26. Valores y criterios de la BBC (BBC)
27. Glosario básico de internet (Rafael Fernández Calvo)
28. Branding corporativo (Paul Capriotti Peri)
29. Los desafíos del periodismo (Media Matters)
30. 100 BM digital tips (Burson-Marsteller)
31. Comunicación local y nuevos formatos periodísticos en internet
32. La sociedad de control (Jose Alcántara)
33. Publicidad 2.0(Paúl Been)
34. Software libre (Jordi Hernàndez)
35. Movilidad en la Pyme (José Colvée)

Mídias sociais e ONGs

24 out

Atualmente, temos falado do uso do poder das mídias sociais como canais de comunicação, promoção e de fidelização de público para as empresas. As redes sociais na Internet são semelhantes a nossa estrutura social física. Essas redes são compostas por pessoas e organizações que se agrupam por interesses afins, divulgando seus valores, ideias e produtos ou serviços e permitindo a interação das mesmas, através do compartilhamento de textos, fotos, vídeos entre outras informações.

Estas plataformas podem ser bem exploradas pelas organizações não-governamentais (ONGs) como forma de comunicar, captar recursos e atrair pessoas sem ter que investir financeiramente em mídia tradicional.

Mas para isso, é preciso planejar! Não adianta a ONG querer criar perfis em várias mídias sociais e achar que o resto acontece sozinho. O primeiro passo é analisar quais os objetivos da organização – se captar recursos, atrair voluntários, divulgar a causa ou todos, para decidir em quais redes ingressar. Mas é certo que as mais populares são o Twitter, o Facebook e também o Orkut que ainda faz muito sucesso por aqui. Se tiver a possibilidade, a organização pode colocar seus vídeos no Youtube ou Vimeo.

Decidido os pontos acima, o passo seguinte é começar o trabalho de colocar informações e mensagens nos perfis para alcançar os objetivos. Mas não deixe de acompanhar o que está acontecendo nem deixe de responder ao público. O importante é mesmo manter vivo o perfil. Para completar e deixar o perfil da ONG mais atrativo, é interessante publicar artigos de blogs e sites relacionados à causa.

Algumas organizações sabem aproveitar a onda das mídias sociais, entre elas o portal Eusouvoluntário e a AssociaçãoSaúdeCriança que são atuantes em seus perfis.

Dicas para planejar a comunicação

No artigo publicado no site Sociedade Semear, Marcio Zeppelini fala sobre NovasoportunidadesparaONGs e dá algumas dicas para uma ONG que queira entrar nas redes sociais:

1- Dedicar parte do tempo para monitoramento de temas relevantes de discussão em outros blogs e redes sociais, como forma de incrementar o conteúdo do perfil;

2- Providenciar ferramentas estratégicas para engajamento;

3- Criar um meio para construir relacionamentos com stakeholders e comunidade;

4- Promover a rede de contatos e arrecadação de fundos;

5- Facilitar a realização de campanhas de longo alcance e, em alguns casos, de iniciativas focadas;

6- Permitir a difusão em larga escala e a baixo custo, de modo a permitir e incentivar a sua replicabilidade;

7- Alcançar as novas gerações (X e Y) e buscar envolvê-las;

8- Prestar contas e informações adicionais de maneira clara e transparente.

As mídias sociais dão várias possibilidades de uso e têm a vantagem de estarem ao alcance de todos. Este pode ser o “empurrão” que a sua ONG precisa para divulgar o trabalho que realiza e conseguir recursos e voluntários para a causa que defende.

Eeste artigo foi originalmente publicado no Portal Comunifoco, onde sou colunista.

Mídia social: facilitadora na decisão de compras?

24 ago

Comprar pela Internet já é um hábito para muitos brasileiros. O que começa a ganhar força é a pesquisa sobre produtos e serviços nas mídias sociais antes de efetivar uma compra. Mas será que as mídias sociais são mesmo “facilitadoras de decisão de compra”?

É o que parece, segundo pesquisa realizada em junho pela Oh!Panel e encomendada pelo Mercado Livre que descobriu que 5 entre 10 brasileiros usuários de internet já usam plataformas como Orkut, Twitter e Facebook para pesquisar e adquirir produtos e serviços. A sondagem ouviu 679 brasileiros entre abril e maio, além de 579 moradores de Argentina, Chile, Colômbia, Equador e Peru.

Além disso,  79% dos entrevistados afirmam que opinião postada por amigos são as mais confiáveis. Deste total, 72,8% admitem confiar mais na recomendação dos colegas do que no parecer de especialistas. Com isso, as mídias sociais deixam de ser somente espaço de entretenimento e ganham relevância na decisão de compra dos consumidores.

Oportunidade para empresas

Já afirmei aqui no Comunicanet que as mídias sociais são ótimos canais de diálogo e relacionamento com o público, pois ajudam a criar vínculos e favorecem a troca entre empresas e consumidores. A pesquisa confirmou esta afirmação, já que 4 entre 10 brasileiros entrevistados acompanham a atuação de suas marcas favoritas nas redes. Eles apresentam duas razões principais para isso: conhecer novos produtos (81%) e encontrar novas ofertas (75,6%).

Daí, podemos reforçar a necessidade de um planejamento de mídias para as empresas que visem o relacionamento com o público, ao mesmo tempo que servem de canal para divulgar ações e novos produtos e serviços.

Planejamento de mídias sociais para as empresas

10 ago

As mídias sociais se desenvolveram nos últimos 10 anos, principalmente após a chegada da Web 2.0 que permitiu a criação de plataformas que integram diferentes mídias (texto, vídeo, imagem e áudio) e hoje fazem parte da nossa vida privada e profissional. Do mesmo modo, elas estão sendo cada vez mais usadas por empresas que querem garantir sua presença na rede.

Mas existe um problema: a variedade de mídias sociais é grande e este número continua crescendo. Assim, o que fazer?

Antes de sair criando perfis em várias mídias sociais, a empresa precisa fazer um planejamento de comunicação voltado para essas mídias, estabelecendo qual o objetivo desejado, qual o público-alvo a ser alcançado e quem será o responsável pela gestão dos perfis, para então, estabelecer em quais mídias ela deve se fazer presente.

Escolher as mídias sociais aliado a um planejamento estratégico gera ganhos para a corporação. É uma oportunidade para a empresa consolidar sua marca, criar e reforçar laços com seus diversos públicos e desenvolver a confiança. Mas para isso, é preciso transparência nas suas ações, agilidade nas respostas, diálogo com os participantes das redes e abertura para sugestões, ideias e até mesmo críticas que possam contribuir para o crescimento da corporação.

Adotar as mídias sociais para a sua empresa é um bom investimento e traz um impacto positivo, mas deve ser sempre acompanhado de planejamento.